“Meu filho quer ser youtuber! E agora?”

Share on twitter
Share on linkedin

Se você é mãe, pai ou convive muito com crianças, provavelmente já ouviu falar dos youtubers. Esses produtores de conteúdo em vídeo se multiplicam velozmente no YouTube. Mas nos últimos anos, muitos dos nossos “pequenos” querem ter seu próprio canal na plataforma. Entenda, neste artigo, porque seu filho quer ser youtuber.

Facilidade de acesso à internet

O aumento do número de crianças com seus próprios canais no YouTube, como as meninas do Planeta das Gêmeas e os irmãos de Yuri & Yan Games, se deve, fundamentalmente, ao aumento do acesso à internet no Brasil e ao sucesso do YouTube como plataforma de vídeo.

Brasil: um país de internautas

Somos hoje, mais de 210 milhões de brasileiros e destes, 149 milhões são usuários de internet. Uma percentagem impressionante ao compararmos com a média global de 57%.

Outros dados do Relatório Digital 2019 da PagBrasil são interessantes:

  • As mídias sociais no Brasil contam com 140 milhões de usuários.
  • 85% dos internautas navegam todos os dias.
  • O brasileiro navega na internet, em média, 9 horas e 29 minutos por dia (a média global é de 6 horas e 42 minutos).
  • Em dispositivos móveis, o brasileiro navega, em média,  4 horas e 45 minutos

Presume-se, portanto, que as crianças são uma boa parcela dos internautas. Outra pesquisa apontou que do total de pessoas que navegam na internet, 6% tinham entre 2 e 9 anos de idade, e 9% estavam na faixa dos 10 à 15 anos.

YouTube: “a queridinha” das redes sociais

Enquanto estão na internet, muitos acessam as redes sociais. 3 horas e 34 minutos é a média nacional. Somos o segundo país com maior hora gasta nessas redes!

Mas não é por menos. Os usuários daqui têm, em média, 9,4 contas em redes sociais! Adivinhe qual a número 1? Sim, o YouTube é acessado por 95% dos internautas!

Com tantas pessoas no YouTube, muito são os conteúdos produzidos. Primeiro, viu-se o crescimento dos youtubers adultos, mas recentemente, crianças passaram produzir também.

Sim, seu filho quer ser youtuber!

O fato dos primeiros youtubers serem adultos, ajuda a explicar o motivo de seu filho ter um ídolo youtuber, como Felipe Neto, PC Siqueira ou Kéfera. O conteúdo deles é voltado para crianças, portanto, trata-se de uma questão de identidade, o que mudou muito nos últimos anos.

Uma pesquisa da Lego realizada com crianças nos Estados Unidos e Reino Unido, questionou sobre qual profissão elas gostariam de seguir. 30% das crianças estadunidenses e 29% das britânicas afirmaram querer ser youtubers, profissão que ficou em primeiro lugar em ambos os países, na frente de ofícios como professor e astronauta.

Sim, muitas crianças querem estar no YouTube e ter seu próprio canal. Pode parecer estranho para você,  mas para elas é normal se expor nas redes.

É uma brincadeira séria

As crianças começam um canal do YouTube na brincadeira. Os conteúdos são para sua a faixa etária – a plataforma considera como criança quem possui até 13 anos -, com muitas travessuras e diversão.

O Planeta das Gêmeas começou com um vídeo de uma brincadeira com os avós. As visualizações foram tantas, que a mãe identificou uma oportunidade. As irmãs adoram a ideia, pois continuam sendo crianças, fazendo coisas que gostam, mesmo ganhando muito dinheiro com isso.

Mesmo que a criança não se torne uma youtuber famosa, a produção de vídeo contribui para desenvolver a comunicação e a criatividade, importantes em qualquer profissão. Mas é claro, a presença de um adulto nesse processo é fundamental, afinal, os pequenos precisam de interação social, viver a realidade e ter uma vida normal para sua faixa etária.

O YouTube é uma plataforma segura?

Para abrir um canal do YouTube é necessário ter 13 anos ou mais. Crianças abaixo dessa idade precisam da mediação de um responsável.

São proibidas as publicações que coloquem em risco o bem-estar emocional ou físico de menores (pessoas com menos de 18 anos). Mas caso você verifique algum conteúdo indevido, é possível denunciar.

O YouTube também procura evitar a exposição de conteúdos indevidos às crianças. Se algum canal adulto produzir conteúdos relacionados a crianças e não categorizá-lo corretamente, irá perder parte de sua monetização.

Uma outra maneira de evitar a exposição de menores a qualquer tipo de violência, é a desativação de recursos no nível do vídeo ou do canal. Comentários, chat ao vivo, transmissões ao vivo e recomendação podem ser usados de maneira ofensiva, então é possível desativá-los. O próprio dono do canal pode definir quem pode ser veu conteúdo.

Entendeu porque seu filho quer ser youtuber? Se você é de Florianópolis ou região e conhece alguma que deseja estar no YouTube, nosso curso de YouTuber Kids é o que há de melhor!

Para conferir mais conteúdos sobre fotografia e audiovisual, acompanhe nosso blog!

Deixe sua resposta

WhatsApp chat